Chegamos ao tempo em que os rendimentos dos investimentos em renda fixa são inferiores a inflação. Para o investidor puramente de renda fixa (pós fixada) chegou a fase da deflação do dinheiro, e parece que esta fase vai se estender por um bom período. Para os não familiarizados com o termo deflação trago um exemplo abaixo.

O investidor investe 100 a uma taxa de 2% a.a levando seu capital a 102 ao termino de um ano, porém a inflação no mesmo período está a 4% a.a. Se o dinheiro deste tivesse sido corrigido somente pela inflação alcançaria o valor 104. Tendo em vista que chegou somente a 102, este investidor perdeu 2 para a inflação, em outras palavras, por deixar o dinheiro investido, um produto que custava 100 no inicio do ano agora custa 104 e ele só possui 102 para comprar este mesmo produto, ou seja, perdeu poder de compra do dinheiro. Este efeito por anos seguidos destrói a poupança de qualquer investidor.

O que fazer para que a deflação não afete seus investimentos? Invariavelmente terá que assumir mais riscos nos investimentos afim de não perder poder de compra.

Agora como e quais riscos assumir de forma a fazer o capital superar a inflação e voltar a crescer e como evitar perder ainda mais do que para a inflação?

Existem muitos veículos de investimentos disponíveis no mercado, todos com seu grau de risco bem estabelecido. Não conseguirei tratar todos aqui, focarei somente no mercado acionário.

A bolsa de valores bateu sua máxima histórica nesta semana atingindo mais de 120 mil pontos. Diante deste recorde de pontos a pergunta dos investidores é: Está na hora de entrar e tomar risco? Vale a pena esperar cair?

Se soubéssemos os tempos e movimentos do índice da bolsa estaríamos todos ricos, pois bastaria esperar a hora de entrar e a hora de sair com o seu dinheiro. Acontece que ninguém tem este “time” definido, todos que entram na expectativa de ganhar dinheiro na bolsa partem da crença em premissas pré-definidas, sejam elas análises gráficas dos movimentos do mercado, sejam elas análises fundamentalistas baseadas em estudos de determinadas empreses e setores da economia. Seja qual for o critério escolhido, existe sempre um grau de incerteza sobre as premissas assumidas na tomada de decisão dos investimentos. Isto acontece com o investidor novato e com o veterano.

A diferença entre os dois investidores está na experiência e na vivência ao ambiente de riscos, pois o mercado é muitas vezes cíclico e alguns movimentos se repetem de tempos em tempos e ai a experiência faz a diferença.

Um bom ponto de partida para os que estão se iniciando no mercado acionário é esquecer o valor do índice e focar nas empresas. Se o investidor atua em um determinado setor da economia e conhece bem o seu mercado, comece investindo em empresas do seu setor. Veja quais que você entende que podem estar com valores abaixo do seu potencial. As vezes a análise de mercado que se faz dos concorrentes já podem trazer muitas informações para uma tomada de decisão de investir. Depois de um tempo amplie suas possibilidades e explore outros setores, vá crescendo gradualmente um portfólio sólido no mercado acionário.

Um bom ferramental disponível no mercado são as casas de pesquisa de mercado não ligadas as corretoras (researches independentes). Eles vivem de fazer pesquisa de empresas e para os que tem pouco tempo de se dedicar a estudar o mercado e as empresas, estes relatórios podem ajudar muito. Um conselho é não seguir a risca o que eles dizem, faça sua própria avaliação tomando por base as informações dos relatórios. Outro ponto de muita atenção e cuidado são os youtuber de investimentos vendendo receita de ficar milionário. Não se iluda, pois se estes caras realmente tivessem a receita, não estariam perdendo tempo em te ensinar e sim ganhando dinheiro para si mesmo. O que eles querem é vender assinatura de participação em clubes de investimentos e é dai que vem a receita deles e não dos seus investimentos.

Caso não tenha tempo para olhar mercado acionário ou paciência para tal, uma outra opção são os fundos multimercado e fundo de ações. O que é importante em se investir nestes fundos é prestar atenção na performance histórica, bem como nas taxas cobradas sobre o seu capital investido, as vezes a aplicação destas taxas pode corroer ou reduzir fortemente seus ganhos ao longo do tempo.

Acabou o almoço grátis da renda fixa, para quem quer fazer seu patrimônio crescer, está mais do que na hora de tomar risco, porém de forma controlada e com uma parte de seu capital.

Chegou a hora do seu dinheiro viver um pouco mais perigosamente e de você ter que acompanhar mais de perto sua performance.

Boas escolhas !

0 comentário em “É hora de tomar risco?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: